ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

Frank Denis Costa Miranda

Nascimento: 13/11/1978

Naturalidade: Brasília

Estado Civil: Casado

Partido: PL

Lei Orgânica 001/95

Seção III – Dos Vereadores

Art. 18º – Os Vereadores são invioláveis por suas opiniões e votos, no exercício do mandato,
na circunscrição do Município.
Art. 19° – O Vereador não poderá:
I-a partir da expedição do diploma:
a) – firmar ou manter contrato com essa pessoa jurídica de direito público, autarquia, empresa
pública, sociedade de economia mista ou com concessionário, permissionário ou autorização de serviço público, salvo quando o contrato obedecer à cláusula uniforme;
b) – aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado, inclusive os de que seja
demissível, “as nutum”, nas entidades constantes da alínea anterior, ressalvado o disposto no inciso I, do Art. 21 desta Lei Orgânica;
II – desde a posse:
a) – ser proprietário, controlador ou diretor de empresas que gozem de favor decorrente de contrato com pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer função remunerada;
b) – patrocinar causa em que seja interessada qualquer das entidade a que se refere o inciso I, da alínea “a”, deste artigo;
c) – ser titular de mais de um cargo ou mandato público eletivo
Art. 20° – Perderá o mandato o Vereador:
I – que infringir qualquer das proibições do artigo anterior,
II – que tiver procedimento declarado incompatível com o decoro parlamentar, –
III – que deixar de comparecer, em cada sessão legislativa, à terça parte das sessões ordinárias,
salvo licença ou missão autorizada pela Câmara Municipal;
IV – que perder ou tiver suspendido os seus direitos políticos,
V – quando o decretar a Justiça Eleitoral
VI – que sofre condenação criminal, por sentença transitada em julgado;
VII – que fixar residência for a do município.
§ 1º-São incompatíveis com o decoro parlamentar, além de dos casos definidos no Regimento
Intemo, o abuso das prerrogativas asseguradas aos Vereadores e a percepção de vantagens indevidas.
§ 2º – Nos casos dos incisos I, II e VI, a perda do mandato será decidida por voto secreto,
mediante provocação da Mesa Diretora, de ofício ou mediante político representado na Câmara Municipal, assegurada ampla defesa.
Art. 21° – Não perderá o mandato o Vereador que estiver:
I- investido no cargo de Secretário Municipal, desde que licenciado pela Câmara Municipal;
II – licenciado pela Câmara Municipal, por motivo de doença, para exercer cargo de Secretário
Municipal e para tratar de interesses particular, sendo vedada à remuneração neste último caso.
§ 1º – O suplente será convocado no caso de vaga, de investidura do titular em funções
previstas neste artigo ou de licença igual ou superior a trinta dias.
§ 2º – ocorrendo vaga e não havendo suplente, far-se-á eleição para preencha-la, se faltarem
mais de quinze meses para o término do mandato do sucedido para cumpri-lo.